Somos todos defensores da causa

No mês passado, minha vida mudou para sempre com a chegada do meu primeiro neto. Esse pequenino garoto chegou ao mundo sem qualquer preocupação – rapidamente trazido por médicos e enfermeiras que atendiam a todas as suas necessidades e garantiam que ele teria um começo de vida perfeito. Momentos depois de seu nascimento, foi submetido a várias avaliações físicas – incluindo uma avaliação dos seus olhos.

Apenas 15 curtos anos antes daquele momento, seu pai recebeu seu primeiro par de óculos. Aos sete anos, meu filho apresentava dores de cabeça, enjôos de movimento e tontura que não eram relacionados a qualquer doença. Várias consultas médicas e exames provavam que ele era uma criança perfeitamente saudável – mas ele sofria de um problema invisível. Eu fui uma mãe responsável que fazia “tudo certo” pelos meus filhos – eles sentiram-se amados, nutridos e protegidos, e receberam cuidados médicos e odontológicos de qualidade.

Logo após receber um atestado de saúde do pediatra do meu filho, comecei minha carreira no setor da visão, e fui desafiada a repensar seus cuidados médicos em geral. Na verdade, meu filho foi uma das milhões de crianças nas escolas dos Estados Unidos que recebiam avaliações de visão no pediatra e na escola. Ele passou em cada avaliação perfeitamente.

Mas, quando fui informada de que uma avaliação da escola não era suficiente – que isso não verifica o bem estar dos olhos do meu filho e tipicamente se foca apenas na acuidade visual – eu o levei a um oftalmologista para mais exames. Um simples astigmatismo era o culpado, e a resposta era uma receita ainda mais simples que corrigia sua visão e protegia seus olhos contra raios UV e danos causados pela luz solar. Ele não teve mais dores de cabeça, enjôos de movimento ou tonturas.

No Vision Impact Institute (VII), somos dedicados a elevar a conscientização sobre a importância da boa visão. . Nos Estados Unidos, nós defendemos ativamente exames de vista para crianças que entram na escola pela primeira vez. Pesquisas sugerem que milhões de crianças que passam por avaliações a cada ano nunca recebem o atendimento de acompanhamento de que precisam. De acordo com a Associação Americana de Optometria (American Optometric Association), até 61 porcento dos que falham no teste nunca vão a um oftalmologista para diagnóstico adicional ou correção. Na realidade, estudos também mostram que até dois meses depois de um exame de vista na escola, 50% dos pais não sabiam que seus filhos haviam falhado. Nós podemos, e devemos, fazer melhor.

Globalmente, uma a cada três crianças tem um problema de visão que poderia ser corrigido com um simples par de óculos. Nos EUA, esse número é de um a cada quatro – indicando que aproximadamente 12,1 milhões de crianças nos EUA precisam de correção da visão para serem mais produtivas. A visão não corrigida pode levar a baixo desempenho escolar, problemas de saúde física de longo prazo como perda da visão e desenvolvimento emocional e social prejudicado.

Começando neste mês, estamos focados em defensores da causa da visão das crianças: pais, professores e oftalmologistas. Separadamente e como um grupo, esses indivíduos podem ter um forte impacto quando se trata de garantir que as crianças enxerguem bem. Professores geralmente são os primeiros a observar uma criança lutando para enxergar na sala de aula, e os pais podem observar um problema de visão em casa. Quando a criança entra na escola, o relacionamento coletivo torna-se ainda mais importante, especialmente quando um professor suspeitar de um problema, comunicar isso a um pai e o pai marcar uma consulta para levar a criança a um oftalmologista.

Como mãe, eu aprendi que eu sou a melhor defensora da causa do meu filho. Na verdade, um exame de vista levou a três exames de vista, já que todos os meus três filhos visitaram o oftalmologista naquele ano. Eu aprendi que só porque eu tinha uma visão perfeita na infância não significava que os meus filhos teriam. Tive que tomar o primeiro passo pelos meus filhos e pelo futuro deles.

No VII, estamos dando uma voz à visão. Junte-se a nós para aumentar essa voz pela causa da visão dos nossos filhos, hoje e pelos anos que virão.

 

Categories

Archive

RSS