Tomando medidas para boa visão em 2018

Não podemos mais considerar a visão como um problema separado em um silo. É uma questão que não só deve fazer parte da saúde pública, mas também da educação, segurança no trânsito e conversas sobre igualdade de gêneros. Nosso trabalho este ano nos levou a percorrer o mundo participando dessas conversas e embora talvez não possamos reunir tudo aqui, esperamos que estes destaques inspirem vocês a continuarem Dando uma voz à visão em 2019.

  1.  Defendendo as crianças em Nova Jersey

Como parte da iniciativa Kids See: Success, estivemos trabalhando com as autoridades eleitas em Nova Jersey para defender exames oftalmológicos para as crianças antes que elas entrassem no jardim da infância. No começo deste trimestre, ficamos animados ao saber que esses esforços coletivos resultaram na aplicação da Lei S2804, para a qual esperamos um voto nas duas próximas semanas.

  1. Tornando as estradas mais seguras

Com o número crescente de pessoas nas estradas em todo o mundo, continuamos introduzindo o tópico da visão nas conversas sobre a segurança no trânsito. Na Índia, finalizamos um estudo através do Instituto de Pesquisa Rodoviária Central (Central Road Research Institute) em quatro cidades para avaliar o impacto da visão deficiente em motoristas profissionais. Na Colômbia, estamos começando a construir relacionamentos, mais recentemente dando apoio ao FITVision em um evento de conscientização pública em Bogotá. E estamos abrindo caminho para o tópico em partes da África. No recente 1o Fórum de Segurança Rodoviária Africana (African Road Safety Forum), onde atendemos em um painel com outros participantes importantes, nós nos alinhamos ao Conselho Africano de Optometria (The African Council of Optometry) em um apoio conjunto ao tópico de visão e segurança no trânsito no evento.

  1. Atingindo novas populações

Este ano expandimos nossos esforços de sensibilização nas Américas, Europa e África com dois novos membros da equipe. Em junho, Judith Marcano Williams juntou-se à equipe como Gerente de Programa, Américas; e em Novembro, Eva Lazuka-Nicolaud ingressou na equipe como Diretora, Europa/África. Judith e Eva trabalharão com governos, principais formadores de opinião e ONGs para estimular a conscientização e defender a boa visão nessas regiões.

  1. Potencializando através das parcerias

Em setembro, anunciamos uma colaboração de um ano com a The Cooper Institute para aumentar a conscientização a respeito da importância da boa visão para crianças em conjunto com seu foco no condicionamento físico. A colaboração é financiada pela The Rosewood Foundation e integra a visão no foco da organização sobre a ‘criança por inteiro’ através de comunicações que atingem pais, alunos, professores e outros parceiros.

  1. Conduzindo as decisões através da pesquisa

Com a firme convicção de que a pesquisa é um motor principal da mudança de política, continuamos construindo nosso banco de dados de pesquisa exclusivo com curadoria. Com mais de 350 artigos e relatórios agora disponíveis em nosso site, estimulamos vocês a usarem o repositório como um recurso em sua própria conscientização ou trabalho de sensibilização.

  1. Ampliando nossa voz

Quando se trata de dar uma voz à visão, nossos diversos parceiros de mídia são peças importantes na defesa da causa. Este ano ficamos gratos pelos inúmeros meios de comunicação, incluindo EdSource, New York Times, Hindu Business Line, Burlington County TimesGlobal Health Now para citar apenas alguns. Não importa se o tópico é sobre educação, segurança no trânsito, assuntos de mulheres ou saúde global, são parceiros como esses que são catalisadores para chegar ao público que pode tomar providências para a boa visão.

  1. Defendendo a igualdade de gêneros 

Em uma época em que questões de gênero estão em pauta em muitas conversas, é importante para nós destacarmos como ser mulher poderia afetar o acesso à boa visão em algumas partes do mundo. No início do ano, elogiamos os esforços da âncora de notícias sul-coreana Lim Hyeon-Ju, que se tornou a primeira âncora mulher no país a usar óculos no ar. É um ótimo exemplo do que pode acontecer quando percebemos que, quando se trata de visão, os óculos não têm gênero.

  1. Destacando a miopia

Não é segredo que a miopia está aumentando. A tendência possui implicações para todos nós, em toda a parte. Em nenhum lugar isso é mais evidente do que em nossas escolas e com nossa crianças. Em junho, tivemos a oportunidade de fazer parceria com o Professor Kovin Naidoo em um painel na Convenção da Aliança de Saúde na Escola (School Based Health Alliance Convention) em Indianápolis para abordar o tópico, encorajando e potencializando aqueles que trabalham nas escolas a serem defensores da visão de nossas crianças.

  1. Fazendo-se ouvir

Em abril, tivemos a oportunidade de abordar membros e representantes da Associação Americana Optométrica (American Optometric Association) em seus dias anuais de sensibilização em Washington D.C. Juntos, mantivemos a postura da visão e abordamos questões importantes que afetam os cuidados com a visão nos Estados Unidos hoje.

  1. Compartilhando a narrativa

Está claro a partir de todo o nosso trabalho este ano que a voz coletiva é a chave para fazer a diferença. Somos lembrados de que nenhum trabalho poderia acontecer sem que todos nós permanecêssemos no espaço daqueles que precisam da nossa voz. Um dos principais destaques para nós em 2018 foi a oportunidade de trabalhar com todos vocês. A cada chamada que fazemos juntos para estabelecer uma conexão, a cada postagem que escrevemos no blog, a cada história que você recompartilha na mídia social, a cada evento em que falamos, existe uma troca de informações, ideias e energia que é a peça mais poderosa para nos ajudar em nossa causa.

Categories

Archive

RSS